Pilates solo x aparelhos

Todos sabemos que praticar Pilates Solo ou em Aparelhos traz inúmeros benefícios como a consciência corporal, melhora da postura, melhora da respiração, tonificação dos músculos, ganho de flexibilidade, alongamento do corpo, melhora do equilíbrio e da coordenação motora.

Sabemos também que os exercícios são ótimos e ajudam nossas vidas em diversos aspectos, mas e as diferenças do Método, você conhece?

Há muita dúvida entre os praticantes e até entre aqueles que querem começar o Método sobre a diferença entre o Pilates Solo conhecido como “Mat Pilates” e o Pilates com a ajuda de aparelhos que é chamado de “Pilates em Stúdio”.

Existem princípios-chave que estão intimamente ligados a excelência do movimento, destacando-se a qualidade sobre a quantidade.

Esses princípios fundamentais são: a concentração, o controle, a precisão, a respiração, a centralização e o movimento fluido.

Cada um dos seis princípios atua com o intuito de melhorar o nosso corpo e mente, seja ele Pilates Solo  ou nos aparelhos, porém, existe uma diferença entre as duas formas de praticar o Método que você conhecerá a seguir!

O Pilates é formado por seis princípios que atuam no nosso corpo e mente de forma eficaz.

Concentração: Durante todo o exercício a atenção é voltada para cada parte do corpo, para que o movimento seja desenvolvido com maior eficiência possível. Todo o corpo é importante e nenhum movimento é ignorado.

Controle: É importante a preocupação com o controle de todos os movimentos tendo por finalidade aprimorar a coordenação motora, evitando contrações musculares inadequadas ou indesejáveis.

Precisão: De fundamental importância na qualidade do movimento, sobretudo, ao realinhamento postural do corpo.

Consiste no refinamento do controle e equilíbrio dos diferentes músculos envolvidos em um movimento.

Centramento: A este princípio do Pilates, chamamos de Powerhouse ou centro de força que é o ponto focal para o controle corporal.

Este centro de força forma uma estrutura de suporte, responsável pela sustentação da coluna e órgãos internos.

O fortalecimento desta musculatura proporciona a estabilização do tronco e um alinhamento biomecânico com menor gasto energético aos movimentos.

Respiração: Joseph Pilates afirmava que frequentemente respiramos errado e usando apenas uma fração da capacidade do pulmão.

Em seu trabalho, Joseph enfatizava a respiração como o fator primordial no início do movimento.

A respiração deve ocorrer ao mesmo tempo da ação muscular, favorecendo o incremento da ventilação pulmonar e a melhora da oxigenação tecidual.

Movimento Fluido: Refere-se ao tipo de movimento, que deve ser de forma controlada e contínua, deve exibir qualidade de fluidez e leveza que absorvam os impactos do corpo com o solo e que usam da inércia, contribuindo para a manutenção da saúde do corpo.

Os exercícios de Pilates podem ser divididos em dois grupos: os realizados no solo (mat Pilates) envolvendo acessórios como bolas, faixas elásticas, rolos e magic circle e os de aparelhos com dispositivos envolvendo molas e polias (Cadillac, Reformer, Chair, Barrel sendo os principais).

Os equipamentos utilizam molas que fornecem assistência ou resistência em inúmeros ângulos de movimentos.

Sem Comentários

Você pode deixar o primeiro comentário.

Comentar

Digite seu nome. Digite um e-mail válido. Digite uma mensagem.